José da Galiléia - pai de Jesus

Na história de Jesus um personagem que aparece muito no início mas que depois pouco se fala é José.
Perguntar ás crianças o que elas sabem de José.
Então, vamos conhecer mais um pouco da história de quem também foi muito importante na vida de Jesus: seu pai José.


José, nasceu na Galiléia norte de Israel. Antes de se casar com Maria, foi casado e teve cinco filhos, mas ficou viúvo, quando um dos seus filhos ainda era pequeno. Seu nome era Tiago.
Ele era um bom pai. Responsável, trabalhador e justo. Trabalhando como carpinteiro sustentou sua família. Mesmo tendo idade mais avançada foi escolhido pelos sacerdotes para se casar com Maria. Ainda noiva de José Maria foi morar com ele, em Nazaré, para ser protegida pois ela era uma moça muito especial. Assim que chegou na casa de José passou a cuidar de Tiago como sua verdadeira mãe.
Pouco tempo depois Maria ficou grávida. José desconfiou que o filho não era dele e pensou secretamente em não casar com Maria. Porém, em sonho, recebeu uma mensagem de que ele seria pai de Jesus - o messias enviado por Deus para salvar seu povo da maldade do mundo. José então voltou para casa decidido a cuidar ainda mais de Maria e seu  novo filho que iria nascer.
Enquanto Maria estava em estado avançado de gravidez, José teve que ir para Belém para participar de um recenseamento. Maria, sendo sua esposa, foi junto.


No meio do caminho, Maria deu sinais que iria ganhar o neném. José procurou um lugar para se hospedar com Maria. Porém, devido ao recenseamento, todos os lugares estavam lotados. 
Em nenhum momento José deixou de proteger Maria e seu bebê. Enfrentou o frio da noite, a seca do deserto, o calor, a fome, mas ele sabia que aquele bebê tinha uma missão muito importante no mundo. E ele faria de tudo para protegê-lo.
Finalmente encontrou um lugar protegido do frio, macio, confortável, a medida do possível, para que Maria pudesse dar a luz: uma estrebaria.


José foi um ótimo pai. Cuidou e amou Jesus e Maria durante toda sua vida. Ele foi o exemplo que o menino Jesus teve de pai. Com ele aprendeu como um bom filho deve ser, aprendeu a ajudar sua mãe nos afazeres domésticos e a ajudar o pai na carpintaria. Jesus amou tanto sua mãe Maria como seu pai José e a eles foi grato por terem cuidado dele permitindo que ele sobrevivesse firme e forte para cumprir sua missão. 


Jesus, um espírito evoluído teve como exemplos durante sua infância duas pessoas de almas nobres, generosas, humildes e benfeitoras: Maria e José. Se não fossem a dedicação, o amor e o carinho desses pais, talvez, Jesus não tivesse cumprido sua missão como deveria ser.
Vamos aproveitar o Natal para lembrarmos do quanto o amor da família, daqueles que nos querem bem é importante para nós.




Teve alguém na história de Belém
Que a história quase não falou
Mas fez também a noite de natal
Foi companheiro amigo e pai leal

refrão
Teve um sonho lindo sonho e uma flor
Linda flor e um lar tão pobre mas rico de amor
No dia a dia trabalhava com suor
Trabalhava talhando a madeira com amor

De tardezinha voltava para o lar
E o aguardavam Jesus e maria
Todas as tardes eram tardes de amor
A mesa posta e o pão de cada dia

Oh! carpinteiro de nazaré
Inspira o homem a ser fiel
Ter sua oficina de amor e fé
Fazer do lar o próprio céu

refrão


Link: http://www.vagalume.com.br/roberto-moreira/jose.html#ixzz3Krnv9Ykl








Maria de Nazaré

Como mês de Dezembro é o mês de Jesus, vamos durante esse mês falar da família de Jesus.
Vamos começar com Maria sua mãe.


Maria, nasceu em Nazaré. Filha única de Joaquim e de Ana que a tiveram em idade já avançada.
Desde cedo era especial: uma menina boa, dedicada, que foi instruida pelos sacerdotes até os 12 anos.
Nessa idade já havia perdido seus pais. Então conforme os costumes da época, ela ficou noiva de José, que era bem mais velho que ela mas seria também responsável por protegê-la.
Poucos anos depois Maria engravidou. Tanto ela quanto José receberam a mensagem do Anjo Gabriel avisando que o filho que eles esperavam era enviado por Deus para salvar a humanidade.
Maria juntamente com José enfrentaram humildemente todas as dificuldades da época. Perseguição dos romanos, frio, fome, pobreza... Mas não esmoreceram.Foram verdadeiros guerreiros.
Maria, confiou em José e em Deus. Apesar de ser nova, e nunca ter sido mãe antes, se manteve forte protegendo seu filho dentro de sua barriga. Deu á luz numa estrebaria, sem apoio de nenhuma parteira ou outra mulher. Só tinha a companhia de José e dos animais, mas na verdade a espiritualidade amiga também  a acompanhava, talves foi isso que lhe fez sentir-se segura...


Depois de toda dificuldade, Maria foi uma ótima mãe. Protegeu, cuidou e amou Jesus com toda dedicação. Tudo que uma criança precisa para crescer saudável Maria fez. Eles viviam numa casa simples, sustentados pelos serviços de carpintaria de José, mas o que mais importava não faltava: o amor dos pais.
Maria sempre esteve ao lado de Jesus. Mesmo depois que ele cresceu e começou a viajar com seus apóstolos para levar adiante suas lições, ela estava com ele. Até o dia de sua crucificação quando sofreu a perda de um filho.


Maria continua nos ajudando lá do plano espiritual. Existem relatos (como no livro: memórias de um suicida), que Maria atua com sua falange de anjos no socorro de almas sofredoras. Ela continua sua existência de amor ao próximo ajudando e orando por nós.
Nosso amigo Chico Xavier, psicografou uma mensagem de Emmanuel que relata como era Maria. Um pintor fez o quadro baseado nessas caracteristicas:


Dica aos pais e vangelizadores: Leia mais sobre Maria neste linkMaria

Portanto, lembremos de Maria como a mãe de Jesus que fez de tudo para Jesus crescer saudável e cumprir sua missão, além disso ora por toda humanidade.



Atividade:
Vamos pintar e montar o presépio:


Somos todos diferentes


Perguntar ás crianças: qual dessas frases está correta?

SOMOS TODOS IGUAIS
SOMOS TODOS DIFERENTES

Deixar que elas comentem e exponham suas opiniões. 

Como vocês já disseram, somos diferentes. Temos cores diferentes, cabelos diferentes, tamanhos diferentes, gostos diferentes, religiões diferentes, culturas diferentes. Isso é bom ou ruim?

Esperar elas opinarem.

Isso é bom!!! Se todos nós fôssemos iguais não seríamos humanos e sim robôs ou bonecos! Nós temos que gostar de nossas diferenças e aprender a mostrar as qualidades de nossas diferenças. Ouçam o poema Diversidade:


Viu? Bom mesmo é sermos amigos pois se um fala pouco, outro fala muito.
Se um é ótimo em matemática, outro faz desenhos lindíssimos.
Um baixinho tem um amigo alto que alcança a bola em cima do muro.
Esse amigo alto tem o privilégio de ter um amigo baixinho
 que pega -facilmente- a borracha que correu pra debaixo da cadeira.
Assim aprendemos a tirar o melhor proveito de nossas diferenças.


Uma coisa importante: precisamos ficar atentos ás necessidades dos outros para sempre que possível ajudarmos.  Me ajudem a completar as necessidades dos amiguinhos nas ilustrações:

O que um coleguinha que tem cadeiras de rodas precisa?
- acessibilidade : rampa de acesso aos lugares e nas calçadas. Menos buracos nas ruas. Rampas de acesso aos ônibus. Adaptações em banheiros, etc.
E um coleguinha cego?
- Cartazes com braile,
- Nas faixas de pedestres ter um dispositivo com áudio para avisá-los a hora certa de atravessar.
- relevo nas entradas e saídas dos estabelecimentos, etc.

Com todas as diferenças devemos ter carinho, cuidado e paciência. Muitas vezes os coleguinhas não tem a mesma agilidade ao se locomover, ao falar, ao pensar mas poderão nos mostrar que tem muito amor no coração e muita coisa para nos ensinar.



Vamos ficar atentos para ajudar nossos amiguinhos. Se perceberem que na escola, na rua, ou em lojas nossos amiguinhos poderão ter dificuldades, vamos avisar aos responsáveis pelo local certo? Todos nós podemos nos ajudar!

Vou contar pra vocês a história de um menino que convive bem com as diferenças. Seu nome é Danilo. A história é Ninguém é igual a ninguém.



Vamos colorir?


Dicas de livros para se trabalhar o tema diferenças:













Chico Xavier

Crianças, vamos conhecer um pouco mais sobre  a história de Chico Xavier.
Quem já ouviu falar dele?
(deixar que eles digam o que sabem)

Bem crianças, Chico Xavier foi um homem muito bom. Um belo exemplo de seguidor de Jesus.


Ele nasceu em 1910  em Pedro Leopoldo MG.
Ainda criança perdeu sua mãezinha e sofreu muito. Seu pai tinha muitos filhos e não tinha condições de manterem todos juntos. Assim, separou os irmãos entre os tios e padrinhos. Chico, foi morar com sua madrinha. Ela não era nada boazinha... Como Chico Xavier desde pequeninho tinha mediunidade ( via e falava com espíritos desencarnados), sua madrinha achava que era louco e batia nele todos os dias.
Porém Chico aguentou todo sofrimento pois tinha ajuda da sua mãezinha que aparecia para ele e lhe dava muitos conselhos.

O sofrimento só diminuiu qando seu pai se casou de novo e sua madrasta, que era muito boazinha,  reuniu todos os irmãos novamente e passaram a viver novamente como uma grande família.
Chico logo, logo foi trabalhar mas nunca deixou de ver os espíritos. Certo dia sua irmã ficou doente, sofrendo influência de espíritos obsessores. Ela foi tratada por médiuns espíritas. Foi aí que Chico descobriu que não era o único que via espíritos. Conheceu as obras de Allan Kardec e o espiritismo e passou a ajudar no Centro espírita da cidade.

Com o tempo passou a desenvolver a mediunidade psicográfica (os espiritos usavam seu braço e sua caneta para mandar mensagens do outro lado da vida para seus familiares que ainda estavam vivos)
Através de sua mediunidade publicou 412 livros em diversos idiomas, doando seus direitos autorais para a FEB (Federação Espírita Brasileira) e outras instituições de caridade.
Chico sempre se sustentou com seu humilde salário. Jamais se aproveitou de seus dons para receber vantagens pessoais.
Chico ajudava os pobres, os doentes. Amava as crianças e também os animais. Por isso que Chico será sempre lembrado e as histórias dos diversos livros que ele psicografou nunca serão esquecidas.



Chico desencarnou aos 92 anos em 2002, mas deixou uma mensagem de caridade, humildade e fé que jamais será esquecida...



Vamos pintar o Chico!





 


Por um mundo melhor

Mais uma vez volto a esse assunto com nossas crianças. Geralmente é no momento que nosso mundo, nosso país, se encontra em conflitos, discórdias. A tentativa é: manter acesa a chama da esperança
para que nossas crianças recebam e mantenham um mundo melhor. Então, vamos lá!



Crianças, esse é o nosso Planeta. 

Como vocês podem ver ele está doente. O que será que ele tem?
Preciso de uma junta médica para me ajudar a descobrir o que esse paciente tem. Podem me ajudar doutores?
A brincadeira é essa: fazendo de conta que sou a "Dra Rause" vou dizendo os problemas que o "paciente" tem e a medida que apontar os problemas os "doutores" vão tentar adivinhar quais os motivos, ou a doença. Ex: problemas respiratórios - pode ser devido a poluição das grandes cidades, desmatamentos, queimadas... Desidratação: as secas das nascentes dos rios, devido ao mau uso das águas ... Por fim constatar que ele também está com problema do coração. Por que será? Talves ele esteja sentindo muito sofrimento devido ás guerras, desentendimento entre as pessoas, violência...
Descobertas as doenças do nosso planeta, vamos discutir o tratamento.
Nisso as crianças vão dizendo o que podemos fazer para melhorar nosso mundo.
Exemplos: para sarar os problemas respiratórios: cuidar de diminuir a poluição, para sarar a desidratação, cuidar das nascentes dos rios, não desperdiçar água... E para sarar o coração? Tratarmos bem as pessoas.
Fazer um cartaz com o título de Receituário.
Assim, crianças poderemos ter um mundo bem melhor!


Em seguida contar a história :


Vamos cantar um pouco?

A paz no mundo começa em mim
Se eu tenho amor com certeza sou feliz.
Se eu faço o bem a meu irmão
Tenho a grandeza dentro do meu coração.

Chegou a hora da gente construir a paz
Ninguém suporta mais o desamor.

Paz pela paz pelas crianças,
paz pela paz pelas florestas,
paz pela paz pela coragem de mudar.

Paz pela paz pela justiça,
Paz pela paz a liberdade,
Paz pela paz pela beleza de te amar.

Paz pela paz de um mundo novo,
Paz pela paz à esperança,
paz pela paz pela coragem de mudar,
Paz pela paz pela beleza de te amar 


Atividade:
Vamos pintar:






Allan Kardec

Perguntei ás crianças:
Vocês sabem que nossa casa chama-se Associação Viva Vida Kardec. Mas vocês sabem quem é Allan Kardec?
Deixei  as crianças  responderem o que elas achavam. Em seguida mostrei sua foto e contei sua história.

A Doutrina Espírita foi organizada por um
francês chamado Denizard Hyppolite Léon Rivail,
que adotou o nome de Allan Kardec.
Ele nasceu em 03 de outubro de 1804, na
cidade de Lião, na França.
Era um homem muito inteligente, estudioso,
pesquisador, falava muitas línguas, escreveu
diversos livros e era professor de várias
disciplinas.
Em 06 de fevereiro de 1832, casou-se com a
senhora Amélie Gabrielle Boudet, nascida em 23
de novembro de 1795.
Ela era uma mulher culta, inteligente, autora
de livros e também professora.

O casal não teve filhos.

Em 1854, Allan Kardec ouviu falar, pela primeira vez, nas mesas girantes. A Europa e muitas outras
regiões viam-se envolvidas por estranhos fenômenos. Só se ouvia falar, por toda parte, das mesas
girantes, que se moviam em diversas casas e salões e, inclusive, respondiam a perguntas por meio de
pancadas.

Como pesquisador e estudioso, Allan Kardec se pôs a examinar tais fenômenos, descobrindo
que eram provocados por inteligências invisíveis (os espíritos), através de uma faculdade inerente ao
ser humano, que ele chamou de “mediunidade”. Pesquisando os fenômenos mediúnicos, Allan Kardec recebeu muitas informações dos espíritos sobre o chamado “plano espiritual”.
Organizando os ensinamentos que lhe foram transmitidos por uma série de espíritos superiores,
Allan Kardec publicou, em 18 de abril de 1857, “O Livro dos Espíritos”. Com a publicação desse livro, nascia a Doutrina Espírita, também chamada de Espiritismo, sendo, portanto, o conjunto de ensinamentos transmitidos pelos espíritos superiores a Allan Kardec.
 Até o final de sua vida, Allan Kardec trabalhou muito, organizando e divulgando o Espiritismo. Ele
publicou cinco livros que constituem a chamada “Codificação Espírita”:

- O Livro dos Espíritos (1857)
- O Livro dos Médiuns (1861)
- O Evangelho Segundo o Espiritismo (1864)
- O Céu e o Inferno (1865)
- A Gênese (1868)

Allan Kardec desencarnou em Paris, na França, em 31de março de 1869, aos 65 anos, em
decorrência da ruptura de um aneurisma, tendo sido enterrado em 02 de abril. Sua esposa viveu até
1883, ano em que, a 21 de janeiro, desencarnou na idade de 89 anos.
(Apostila Estudando o espiritismo com a turma do Dequinho)

Depois de explicar sua história e esclarecer porque o homengeamos, pintamos!


e cantamos!

Allan Kardec, o codificador (Clésio Tapety)

  Intro.: G C G D
G C
Quando aquele homem nasceu
G C
Veio com uma missão
G C D G C G D
De nos trazer a obra da Codificação
G C
Era grande professor
G C
Denizard Hippolyte Léon Rivail
G C D G C G D
Da missão de educar ele nunca fugiu
G C
O Espiritismo ele revelou
G C
Doutrina de luz e amor
G C D G C
Virou, então, Allan Kardec, o Codificador
G C D G C
Obrigado, então, Allan Kardec, por nos ensinar o amor
G C D G C G D G
Obrigado, então, Allan Kardec, nosso professor 


Algo mais

Contar a seguinte história:
Algo mais
Livro: Pai Nosso, Chico Xavier, pelo espírito Meimei.


Texto: Algo mais.

Um crente sincero na Bondade do Céu, desejando aprender como colaborar na construção do Reino de Deus, pediu, certo dia, ao Senhor a graça de compreender os Propósitos Divinos, e saiu para o campo.

De início, encontrou-se com o Vento que cantava e o Vento lhe disse:
— Deus mandou que eu ajudasse as sementeiras e varresse os caminhos, mas eu gosto também de cantar; embalando os doentes e as criancinhas.


Em seguida, o devoto surpreendeu uma Flor que inundava o ar de perfume, e a Flor lhe contou:
— Minha missão é preparar o fruto; entretanto, produzo também o aroma que perfuma até mesmo os lugares mais impuros.


Logo após, o homem estacou ao pé de grande Árvore, que protegia um poço d’água, cheio de rãs, e a Árvore lhe falou:
— Confiou-me o Senhor a tarefa de auxiliar o homem; contudo, creio que devo amparar igualmente as fontes, os pássaros e os animais.

O visitante fixou os feios batráquios e fez um gesto de repulsa, mas a Árvore continuou:
— Estas rãs são boas amigas. Hoje posso ajudá-las, mas depois serei ajudada por elas, na defesa de minhas próprias raízes, contra os vermes da destruição e da morte.



O devoto compreendeu o ensinamento e seguiu adiante, atingindo uma grande cerâmica.
Acariciou o Barro que estava sobre a mesa e o Barro lhe disse:
— Meu trabalho é o de garantir o solo firme; mas obedeço ao oleiro e procuro ajudar na residência do homem, dando forma a tijolos, telhas e vasos.


Então o devoto regressou ao lar e compreendeu que para servir na edificação do Reino de Deus é preciso ajudar aos outros, sempre mais, e realizar cada dia, algo mais do que seja justo fazer.


Atividade:

ilustrar a histórinha

Boas maneiras

Sempre é bom voltar a esse tema, rever as boas maneiras e as palavrinhas mágicas.
Hoje trabalhei com as crianças o livro:
O livro das péssimas boas maneiras, de Babette Cole. Com muitas ilustrações bem divertidas e poucos texto ele mostra como não se deve ser mas ao mesmo tempo incentiva a criança a tentar o seu melhor - mesmo que precise melhorar! As crianças adoraram e comentaram muito.

Algumas pessoas têm boas maneiras, outras têm péssimas maneiras. E outras ainda não têm maneiras de jeito nenhum. Neste livro de péssimas boas maneiras, Babette Cole mostra como crianças normais podem se tornar “verdadeiros anjinhos”... muito normais.

Boas Maneiras são regras básicas de como viver em sociedade. Boas maneiras também chamado de bons modos resume-se, basicamente, a viver de forma educada e cordial na família, na escola, na sala de aula, em locais públicos, à mesa, ao telefone, etc. No fundo, são boas maneiras em sociedade, regras de convivência social - http://educamais.com/boas-maneiras/ 
 Devemos sempre recordar de agradecer, cumprimentar, usar as palavrinhas mágicas (desculpe, com licença, por favor...). Essa maneira de ser nos ajuda a viver bem uns com os outros em todos os lugares onde estivermos.
Outras Sugestões de livros:
Emilie Beaumont: para os mais pequeninos

http://coisasdepro.blogspot.com.br/2011/10/o-livro-de-boas-maneiras-da-dora.html
Sugestão de vídeo:


Sugestão de jogos e passatempos online:






Mãos que fazem o bem - Cartilha do Bem

Hoje eu vou contar a história do livro Cartilha do Bem, psicografado por Chico Xavier, pelo espírito Meimei.

Existem duas forças em luta na Terra, onde Jesus está construindo o Reino de Deus.
Essas forças são a do bem e a do mal que se manifestam por nossas mãos.
Temos, assim, por onde passamos no mundo, as mãos iluminadas que estendem o amor e a paz, o trabalho e a alegria...


E conhecemos as mãos espinhosas que fazem o ódio e o desespero, a preguiça e o sofrimento.
Há mãos que sustentam a lavoura e o jardim, produzindo pão e felicidade.
E vemos aquelas que se entregam à miséria e ao vício.
Mãos que honram a indústria e o progresso.
Mãos que arrancam lágrimas e multiplicam o infortúnio.
Vemos braços que acariciam... Braços de mãezinhas abençoadas, de pais amigos, de obreiros da paz e da evolução, de enfermeiras abnegadas e de crianças generosas que asseguram na Terra o Serviço da Luz.


E encontramos braços que ferem e amaldiçoam, que se entregam ao crime, que humilham os pobres e os pequeninos, que exercem a crueldade, e que violentam a Natureza, aniquilando as plantas e os animais prestimosos.
Reparamos mãos preciosas que usam a enxada e a pena, auxiliando o celeiro e a educação.
E surpreendemos mãos infelizes que roubam e matam, estendendo a perturbação e a morte.
Mãos que levantam templos e lavres, escolas e hospitais.
Mãos que destroem e dilaceram, enganam e apedrejam.
Jesus veio ao mundo para que nossas mãos aprendam a servir à Luz do Bem, edificando a nossa própria felicidade.


Com as d’Ele, curou os doentes, socorreu os fracos, amparou os tristes, limpou os leprosos, restituiu a visão aos cegos...
Levantou os paralíticos, afagou os velhos e os deserdados, e abençoou as criancinhas...
Filhos meus, não permitam que as garras da sombra lhes dominem as mãos na vida...
Sigamos pelos caminhos da Luz, procurando a intimidade com os servidores do bem! 


Jesus é o lapidário do céu, a quem Deus, Nosso Pai, nos confiou os corações. 


Viram crianças? Temos mãos para construirmos o mundo do bem, mas se não tomarmos cuidado, acabamos por usá-las para o mal. Sigamos os ensinamentos de Jesus, que nos deu exemplos de como usarmos nossas mãos para o bem.

Atividades

Vamos usar nossas mãoszinhas para fazer coisas bonitas? Cobrir com um lápis em torno da mão, em papel branco ou colorido, ou usando a mão como um carimbo ( passando tinha na palma da mão) -podemos fazer coisas lindas! Olha os exemplos:

Leão

Girafa

Galo

Polvo e Peixe

Trem, Borboleta, Sol

Elefante

Garsa

Macaco

Usem a criatividade! Usem bem as mãos!