Lei de causa e efeito


Distribuir papel com uma atividade (dizer oi, pisar no pé, fazer careta, dar um abraço, dar um sorriso...). O que está escrito no papel deverá ser feito ao colega da direita. Depois cada um coloca o seu nome no verso do papel que recebeu e devolve para caixa.
Dar a cada criança uma bolinha de tênis e pedir que elas joguem contra a parede (devagar). 

Perguntar: 

*o que acontece com a bola?
 * a bola volta? 
* Por quê?
 * Que velocidade ela tem?

Comentar algumas atitudes e suas consequências: 

* comer demais (passar mal, dor de barriga)
 * estudar bastante para prova
 * não tomar banho
 * tomar banho
 * tomar muito sol
 *dormir tarde e acordar cedo
 * jogar vídeo- game demais.

Conclusão: toda atitude tem uma consequência.

Deus é bondoso e justo. Ele governa o universo com base na Lei de Causa e Efeito. Tudo o acontece tem uma causa e uma consequência.
Cada pessoa é responsável por suas atitudes, e colhe as conseqüências do que fizer. E tudo o que fizermos de bom ou ruim volta para nós.
As leis dos seres humanos às vezes não são cumpridas. Mas as leis de Deus sempre são cumpridas. Elas não mudam e são perfeitas.

Ex: roubo. O ladrão pode não ser preso ou condenado, mas ele não foge da justiça Divina. Por isso dizemos que Deus tudo vê. Não é necessária vingança.

As conseqüências dos atos podem ser positivas, se os atos forem positivos. Ou podem ser negativas, se os atos forem negativos. Os atos podem ser desta vida ou de uma vida anterior.
Por isso a dor e o sofrimento não são castigos de Deus, são apenas conseqüências de atos desta vida ou de reencarnação passada.

Contar a história das árvores. Perguntar o que entenderam da história:


As duas árvores

Tinha dois meninos e o primeiro tinha sementes de limão e as plantou, passado o tempo necessário, a árvore
cresceu e quando ele foi colher não gostou do resultado pois a fruta era um limão.....
Um outro menino, plantou sementes de laranja, aconteceu o mesmo que o outro, a árvore cresceu deu doces frutos.

A medida que contar a historia, montar um painel com as ilustrações dos meninos, das árvores, do Sol.
desenho de Patricia Simões


Fazer a relação das sementes com nossas ações, o sol como Deus que nasce e brilha para todos e os frutos 
são o resultado de nossas ações, serão bons ou ruins de acordo com as sementes (ações).


Retornar a atividade inicial - cada criança tira um papel da caixa, lê o nome do colega e o procura. Faz para ele o que havia feito para o outro. Levando as crianças a concluírem que tudo o que fazemos aos outros volta para nós mesmos.

Fonte: www.searadomestre.com.br


Gratidão

Poema da gratidão

Perguntar as crianças:O quê é gratidão?Ouvir suas respostas

Em seguida perguntar:Por que agradecer?

Fazer a seguinte dinâmica com eles:

1º. vendar os olhos das crianças (pode ser no máximo três, podendo trocar de crianças depois).Deixar que elas andem pela sala com auxílio das mãos para identificar os lugares, e deixar que as outras crianças dêem dicas para elas não se machucarem.

Ao tirarem as vendas comentar o que acharam:quais foram as dificuldades, o que sentiram.

2° colocar uma música suave e pedir para elas ouvirem tentando identificar os sons (preferência música com sons da natureza).Depois deixar eles comentarem

Concluir:Viram como é importante os nossos sentidos?Perceberam como foi difícil andar num ambiente sem ver?Como teria sido difícil se não fossem as mãos, para apalpar, e os colegas para nos avisar dos obstáculos...Ouviram que música linda? Como seria se não tivéssemos audição?Só o silêncio...

Mas provavelmente vocês conheçam alguém que não tenha algum desses sentidos mas é feliz(deixar eles comentarem)!Provavelmente tenham outras formas de conseguirem viver bem apesar das limitações.

Por isso devemos ser gratos por tudo que temos na vida!

Então declamar a seguinte poesia ás crianças com auxílio de ilustrações:


Poema da Gratidão

Senhor Jesus, muito obrigada!
Pelo ar que nos dás,
Pelo pão que nos deste,
Pela roupa que nos veste,
Pela alegria que possuímos,
Por tudo de que nos nutrimos.
Muito obrigada, pela beleza da paisagem,
Pelas aves que voam no céu de anil,
Pelas Tuas dádivas mil!


Muito obrigada, Senhor!
Pelos olhos que temos...
Olhos que vêm o céu, que vêm a terra e o mar,
Que contemplam toda beleza!
Olhos que se iluminam de amor
Ante o majestoso festival de cor
Da generosa Natureza!
E os que perderam a visão?
Deixa-me rogar por eles
Ao Teu nobre Coração!
Eu sei que depois desta vida,
Além da morte,
Voltarão a ver com alegria incontida...




Muito obrigada pelos ouvidos meus,
Pelos ouvidos que me foram dados por Deus.
Obrigada, Senhor, porque posso escutar
O Teu nome sublime, e, assim, posso amar.
Obrigada pelos ouvidos que registram:
A sinfonia da vida,
No trabalho, na dor, na lida...
O gemido e o canto do vento nos galhos do olmeiro,
As lágrimas doridas do mundo inteiro
E a voz longínqua do cancioneiro...
E os que perderam a faculdade de escutar?
Deixa-me por eles rogar...
Eu sei que no Teu Reino voltarão a sonhar.



Obrigada, Senhor, pela minha voz.
Mas também pela voz que ama,
Pela voz que canta,
Pela voz que ajuda,
Pela voz que socorre,
Pela voz que ensina,
Pela voz que ilumina...
E pela voz que fala de amor,
Obrigada, Senhor!
Recordo-me, sofrendo, daqueles
Que perderam o dom de falar
E o teu nome sequer podem pronunciar!...
Os que vivem atormentados na afasia
E não podem cantar nem à noite, nem ao dia...
Eu suplico por eles
Sabendo que mais tarde,
No Teu Reino, voltarão a falar.


Obrigada, Senhor, por estas mãos, que são minhas
Alavancas da ação, do progresso, da redenção.
Agradeço pelas mãos que acenam adeuses,
Pelas mãos que fazem ternura,
E que socorrem na amargura;
Pelas mãos que acarinham,
Pelas mãos que elaboram as leis
E pelas que as feridas cicatrizam
Retificando as carnes partidas,
A fim de diminuírem as dores de muitas vidas!
Pelas mãos que trabalham o solo,
Que amparam o sofrimento estancam lágrimas,
Pelas mãos que ajudam os que sofrem,
Os que padecem...
Pelas mãos que brilham nestes traços,
Como estrelas sublimes fulgindo nos meus braços!
...E pelos pés que me levam a marchar,
Erecto, firme a caminhar,
Pés da renúncia que seguem
Humildes e nobres sem reclamar.
E os que estão amputados, os aleijados,
Os feridos e os deformados,
Os que estão retidos na expiação
Por crimes praticados noutra encarnação,
Eu rogo por eles e posso afirmar
Que no Teu Reino, após a lida
Desta dolorosa vida,
Poderão bailar
E em transportes sublimes com os seus braços também afagar.
Sei que lá tudo é possível
Quando Tu queres ofertar,
Mesmo o que na Terra parece incrível!


Obrigada, Senhor, pelo meu lar,
O recanto de paz ou escola de amor,
A mansão de glória
Ou pequeno quartinho,
O palácio ou tapera, o tugúrio ou a casa de miséria!
Obrigada, Senhor, pelo amor que eu tenho e
Pelo lar que é meu...
Mas, se eu sequer
Nem um lar tiver
Ou teto amigo para me abrigar
Nem outra coisa para me confortar,
Se eu não possuir nada,
Senão as estradas e as estrelas do céu,
Como sendo o leito de repouso e o suave lençol,
E ao meu lado ninguém existir, vivendo e chorando sozinho ao léu...
Sem um alguém para me consolar
Direi, cantarei, ainda:
Obrigada, Senhor, porque te amo e sei que me amas,
Porque me deste a vida
Jovial, alegre, por Teu amor favorecida...
Obrigada, Senhor, porque nasci,
Obrigada, porque creio em Ti.
...E porque me socorres com amor,
Hoje e sempre,
Obrigada, Senhor!


Autor:
Divaldo Pereira Franco ( médium )
Amélia Rodrigues ( espírito )

 

Depois do poema distribuir um lanche á eles exercendo a gratidão: a medida que entregar o lanche agradecer á Deus pela instituição onde tivemos a chance de nos encontrar ensinando e aprendendo juntos, agradecer pelas crianças que acordam cedo enfrentando o frio e o sono e nos dá o prazer de suas companhia e a oportunidade de reviver a alegria da infância!!!

Encerrar a aulinha com um desenho livre onde cada um agradecerá a Deus pelo que quiser.Quem preferir poderá escrever.

Pai Nosso

Perguntar ás crianças:

Todos vocês conhecem o Pai Nosso não é?Desde os pequeninos aos maiores, quando peço uma prece sempre lembram da prece que Jesus nos ensinou.Mas será que todos sabem o quê cada frase significa?

Vamos pensar?

Pai nosso que estás no céu

 

O Mestre queria dizer-nos que Deus, acima de tudo, é nosso

Pai.

Criador dos homens, das estrelas e das flores.

Senhor dos céus e da Terra.

Para Ele, todos somos filhos abençoados. Com essa afirmativa,

Jesus igualmente nos explicou que somos no mundo uma só

família e que, por isso, todos somos irmãos, com o dever de ajudar-nos uns aos outros.

Santificado seja Vosso nome


A própria vida de Jesus pregando o evangelho foi uma forma de santificar o nome de Deus.Ele quis dizer que tudo o que ele fez ao próximo foi com a autorização e o poder de Deus.Deus lhe enviou para mostrar ao povo que todos somos irmãos e que Ele quer que conquistemos nossa evolução.

 

Venha a nós o Teu Reino

 

“Venha a nós o teu reino...” – assim rogou Jesus ao Pai Celestial,

sabendo que só o Plano de Deus pode conceder-nos a verdadeira

felicidade. Mas, o Mestre não se limitou a pedir; ele trabalhou

e se esforçou para que o Reino do Céu encontrasse as bases

necessárias na Terra.

Espalhou, com as próprias mãos, as bênçãos da paz e da alegria,

a fim de que os homens se fizessem melhores.

O Reino de Deus não é um lugar.É um estado.O Amor Sublime.

 

Seja feita a Tua vontade assim na Terra como no Céu 



Para se construir uma casa, precisa-se de um plano de um arquiteto e os operários devem seguir as corretamente a planta para que não aja erros.Os pintores, carpinteiros, todos deverão cada um seguir sua função e não interferir no serviço do outro para não atrapalhar.Assim também devemos agir na vida, cada um fazendo sua parte para conseguirmos realizar os Planos  de Deus: O Bem para todos.

 

O Pão nosso de cada dia dai-nos hoje

 

O Pão não é só o alimento material, mas principalmente o alimento espiritual:Paz, esperança, fé, valores morais.Tudo que falamos, o que pensamos, também alimentam as mentes de outras pessoas.

Procuremos, desse modo, o pão espiritual que nos garanta a

harmonia interior, que conserve o nosso caráter firme sobre os

alicerces do bem, que nos guarde contra a maldade e que nos

ajude a ser exemplos de compreensão e fraternidade.

 

Perdoai as nossas Dívidas assim como nós perdoamos aos nossos devedores

Quando Jesus disse isso, ele quis que não só pedíssemos perdão ás nossas ofensas, mas que assumamos o compromisso de perdoar os nossos ofensores, pois os nossos defeitos aos nossos olhos ficam minúsculos, mas temos tendencia a vermos os defeitos dos outros com tamanhos bem maiores.

 

Não nos deixei cairmos em tentação



A Bondade Infinita de Deus não permitirá que venhamos a

cair sob as tentações, mas, para isso, é necessário que nos esforcemos,

colaborando, de algum modo, com o auxilio incessante de

Nosso Pai.

 

Livrai nos do Mal Amém.



Só conseguiremos realizar os planos de Deus, se estivermos livres do Mal, pois só o Bem nos levará até Ele.

(Adaptação e trechos do livro:Pai Nosso pelo Espírito de Meimei, psicografia de Chico Xavier) 

Explicar cada trecho com o auxílio de ilustrações.