02/07/2015

A árvore que aprendeu a ser feliz

A árvore que aprendeu a ser feliz - autora: Dora S. Volk
ilustrações: Sandra M. Volk

(Essa história é ótima inclusive para ser representada, hoje resolvi contá-la e mostrar as ilustrações que são uma gracinha!)

Uma sementinha, carregada pelo vento, caiu no chão de uma floresta.
A terra, ali, era bem fofinha.
Alguns raios de sol iluminavam e aqueciam aquele lugar.

Tudo isso fez com que a sementinha germinasse, surgindo, assim, uma plantinha. A plantinha cresceu bem depressa e logo ficou mais alta que as árvores que lá viviam.
Por isso, ela começou a se achar muito importante e vivia dizendo:
-Vejam como sou alta e forte! Vejo o Sol todos os dia, primeiro que vocês!


-Cuidado, dizia uma das árvores. Se vier uma tempestade, a primeira a ser atingida por um raio será você...
-Imagine só, alta e forte como sou, nada me atingirá! - ela retrucava. Outra árvore, que já havia vivido muitos anos, também dizia: - Não se orgulhe tanto! Se o homem aparecer por aqui com seu machado, é a você que ele verá primeiro!


Acreditando que nada lhe aconteceria, ela pensava: "Ora, elas estão é com inveja da minha beleza!"
Ela não deixava que os pássaros nela pousassem ou fizessem seus ninhos.
Espantava também as borboletas e as abelhas:
-Cho! Cho! - dizia, sacudindo-se. - Saiam! Vocês vão quebrar e sujar meus galhos!


As árvores mais velhas continuavam aconselhando:
-Você precisa ser útil! Os pássaros precisam de seus galhos para fazer seus ninhos e as abelhas, do néctar de suas flores...
Mas ela fingia que não ouvia.
A árvore parecia feliz. Mas, secretamente, sofria, porque as flores que enfeitavam seus galhos na primavera, caiam murchas, sem se transformarem em frutos.
Ela não sabia que, para das frutos, precisava do auxílio dos insetos, que levam o pólen de uma flor a outra.
Certo dia, durante uma tempestade, ela, que era a mais alta, foi atingida por um raio.


Pobre árvore! Quase não restou nada dela!
Parecendo estar morta, sofria por ter perdido sua beleza. Com o passar do tempo, começou a se lembrar dos conselhos dados pelas árvores mais velhas e percebeu que nada fizera de bom em sua vida.
Arrependida, passou a pedir a Deus uma nova oportunidade.
Chegou novamente a época das chuvas, dando nova vida á floresta.

A árvore, mesmo queimada, sentiu que alguma coisa estava acontecendo com ela.
Alguns brotinhos começaram a surgir.
Os brotinhos se desenvolveram, formando lindos galhos.
Feliz, ela agora desejava que os pássaros se aproximassem e dizia:
- Venham! Venham fazer seus ninhos!

Quando chegou a primavera, seus galhos cobriram-se de flores perfumadas, atraindo borboletas, abelhas e beija-flores.
A árvore sentiu-se feliz com a chegada deles.
As flores deram deliciosas frutas vermelhas que alimentavam muitos pássaros da floresta e eles cantavam, felizes, em agradecimento.
Há, agora, muita alegria naquele lugar.
A árvore, modificada, não se cansa de agradecer a Deus porque, sendo útil, encontrou a felicidade.



Dinâmica:
Dividir a turma em grupos, distribuir quebra-cabeças que terão pelo menos um peça trocada entre si.
Fiz com ilustrações em tamanho grande de revistas. Fiz o traço do quebra cabeça, colei em cartolina e recortei. Mas pra quem preferir, segue alguns modelos que podem ser impressos:


Observar: como trabalham em equipe, como se ajudam como turma...
Perguntar: quais foram as dificuldades e o que fizeram para resolver.
Objetivo: mostrar a importância do trabalho em grupo, de se ajudarem. 

Assim como na brincadeira, na vida precisamos da colaboração das pessoas. Em muitos momentos podemos ajudar e sermos ajudados.


Uma música para alegrar! Árvore Feliz!