28/03/2013

Pascoa e Espiritismo


A Doutrina codificada por Allan Kardec não possui dogmas, rituais, não
institui abstinências alimentares, nem possui comemorações vinculadas a datas
comerciais e cívicas. Por isso os espíritas não comemoram a morte nem o
reaparecimento de Jesus. O Espiritismo nos ajuda a entender os acontecimentos da
passagem de Jesus no plano Terra e esclarece que a Páscoa é uma festividade do
calendário adotada em nossa sociedade por algumas religiões.


Para os espíritas a Páscoa, como qualquer outro período do ano, deve ser
um momento de reflexão, estudos e reafirmação do compromisso com os ensinamentos
do mestre, a fim de que cada um realize dentro de si, e no meio em que vive, o
reino de paz e amor que ele exemplificou.

0 maior milagre que Jesus operou, o que verdadeiramente atesta a sua
superioridade, foi a revolução que os seus ensinamentos produziram no mundo,
apesar da exiguidade dos seus meios de ação.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/artigos-espiritas/praticas-distantes-semana-santapascoasexta-feira-santa/#ixzz2Ok5Wn14A

Sugestões de atividades para as crianças:









Devemos aprender  tudo que Jesus ensinou com sua vida, não com sua morte : esse fato só nos mostra o quanto ainda eramos cruéis.
Semana santa para católicos representa a morte a morte e a ressurreição de cristo. Porque pensar na morte se temos tanto a aprender com sua vida?

Subsídio para educadores, pais e evangelizadores sobre semana santa:

Esta semana, que a Igreja Romana considera santa, comemora-se a paixão e a morte de Jesus Cristo.
Essa fúnebre solenidade da paixão, dos sofrimentos e da morte de Jesus Cristo, ora se celebra em março, ora em abril.
Comemora-se sempre o seu nascimento no dia certo, 25 de dezembro, porém, a sua morte não é comemorada em dia, semana e mês certos.
Por decreto do Concílio de Nicéia, reunido no ano 325, o dia da Páscoa, do qual dependem todas as demais festas móveis do ano eclesiástico, deve ser celebrado no domingo depois da primeira lua cheia da primavera. É considerada pela Igreja Romana a maior solenidade do ano eclesiástico.
É muito estranhável e nada justifica essa resolução da Igreja naquele Concílio.
Na quinta-feira Jesus deveria ter realizado a última ceia pascal com os seus amados discípulos. E a Igreja ainda hoje comemora a solenidade da Páscoa, que o próprio Jesus, como judeu, celebrou e que não foi instituída absolutamente por Ele.
A Páscoa é uma antiga festa nacionalista dos judeus, em que celebravam a libertação de todo o seu povo do cativeiro egípcio, quando Moisés conseguiu a permissão do Faraó para abandonar as terras do Egito, emigrando do interior desse país em busca das Terras Sonhadas da Promissão.
A Páscoa é a festa da independência, da liberdade, da consolidação das instituições nacionalistas judaicas, da vitória espiritual da raça, alcançada por esse povo sofredor e admirável e de ânimo forte, que é o povo judeu, que, de escravo no Egito, passou a povo livre, tempos depois, nas terras sagradas da Palestina.
A Páscoa representa a passagem, quase a pé enxuto, do Mar Vermelho, de todo o heróico povo judeu conduzido pelo grande Moisés, quando emigrou do país onde vivia como escravo, perseguido, logo mais, pela poderosa cavalaria egípcia, que não o alcançou graças à maré enchente daquele Mar. Páscoa significa passagem. A Igreja de Roma alterou esta grande solenidade caracteristicamente judaica e incorporou-a às suas instituições humanas.
Nada tem a Páscoa de cristã.
Os espíritas não celebram a Páscoa, porque não são judeus, nem consideram esta semana como santa, porque não são católicos. Não jejuam, comendo apenas peixe. O jejum não é material, é espiritual. O peixe é um ser que tem tanto direito à vida como o boi, a galinha, o peru, o carneiro e o porco.
Os dias desta Semana são iguais aos da passada e aos da futura. Não queremos ter uma semana santa de comemorações materiais…
Desejamos santificar todos os dias do ano pela prática constante do bem, amando a Deus e ao próximo, tornando-nos sempre úteis aos nossos semelhantes, servindo-os e assistindo-os nas suas necessidades com emoção e desinteresse.
Todos os dias devem ser santos para o verdadeiro cristão.
Se o Cristo ressuscitou, se é Espírito e Vida, se está hoje mais vivo do que nunca em nossos corações, por que comemorar a sua morte, o seu sacrifício infamante na madeiro entre dois pecadores?
Se Ele foi grande na sua morte, foi maior na sua ressurreição e muito mais ainda na sua vida de pureza e de santidade, vida divina que todos devemos imitar.

Djalma Montenegro de Farias

21/03/2013

Espiritismo sua missão


Nas ultimas aulas falamos sobre Moisés e os mandamentos de Deus, o nascimento de Jesus e sua missão.
Vimos que, tanto Moisés quanto Jesus, vieram ao planeta Terra em momentos muito difíceis, onde os seres humanos estavam confusos, perdidos em seus próprios erros.
Quando Jesus estava vivo ele ensinou muitas coisas sobre ser do bem e da importância de nos preocuparmos mais com o que somos, do que com o que temos.
Muitos anos depois, o mundo se encontrou novamente em conflitos: guerras, materialismo, individualismo. Mas ao mesmo tempo, estava aberto á novas ideias,  descobertas científicas (1857).
Surge então um novo consolo: através de manifestações mediúnicas, espíritos passaram a transmitir mensagens informando que mesmo depois do corpo morto, a vida continua. Em vários lugares do mundo, mães, pais, esposas, filhos, encontraram conforto ao saber que seus parentes falecidos se encontravam em um lugar especial, com pessoas especiais e contavam em detalhes como era esse lugar. Essas pessoas só acreditavam que eram os mesmos parentes, pois eles contavam detalhes de suas vidas, quando vivos,que só eles sabiam. Allan Kardec, pedagogo francês, questionador da vida desde criança, reuniu médiuns (pessoas que recebiam de diversas formas as mensagens dos espíritos) e transformou em livros as lições transmitidas por esses espíritos) 

                                              Doutrina Espírita

Foi assim que surgiu o Espiritismo ensinando que:

  •  Quando morremos (desencarnamos), nosso corpo acaba, mas nossa essência continua viva (espírito).
  • Que temos liberdade para escolher como devemos viver (livre-arbítrio), mas somos responsáveis por tudo o que fazemos: se fizermos o mal á alguém, um dia, teremos que responder por isso (ação e reação).
  • Descobrimos que é preciso mais do que uma vida (reencarnação) para nos tornarmos tão bons e evoluídos a ponto de não termos mais defeitos, e só querermos o bem ao próximo.
(Veja também aulinhas publicadas sobre Allan Kardec:  http://www.evangelizaresaberamar.blogspot.com.br/search/label/allan%20kardec )

Portanto, continuamos crendo em Deus, seguindo Jesus, mas com mais consciência de que é preciso sempre aprender e praticar o que se aprende.
A Lei é a mesma: Lei do Amor.
Esse é o maior aprendizado

Fonte de Pesquisa:
Evangelho segundo o Espiritismo, Allan Kardec
A Gênese, Allan Kardec
Obras póstumas, Allan Kardec


Atividade:
Usando recortes de revistas, colagens com papeis coloridos, tinta, lápis de cor, enfeitar a ilustração da Casa Espírita (Segue modelo, mas pode fazer como quiser), uma escola de Amor e Luz!


14/03/2013

Missão de Jesus II - Lição de Vida

A vinda de Jesus foi para nos ensinar o verdadeiro significado das leis de Deus.
Ele ensinou através do exemplo de sua própria vida.
Vamos ver o que aprendemos com sua vida?


1° Amar á Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.
Explicar: Naquele tempo o povo valorizava mais as belezas materiais, o ouro, e era egoísta.
Jesus veio explicar que acima dos lideres da Terra, existe Deus.
E já que ele encontrara o homem que pensava só em si, que ele passasse a pensar no outro também.


2° Humildade: A própria situação em que Jesus nascera, já dá um exemplo de simplicidade. Procurou passar ás multidões que o seguiam  que o mais importante é o que somos, não o que possuímos.

3°Lei de Amor:

Fazer o bem sem olhar a quem,
ajudar ao próximo,
cuidar da Natureza.
Através de suas parábolas, Jesus procurava dar exemplos de situações onde poderia tirar lições de vida.



4° Perdoar
O ódio, o rancor e a mágoa são sentimentos que nos prendem ao chão. O Amor nos eleva...
Perdoar é esquecer.

5° Valor da oração
A oração tem que vir do coração.Não só palavras repetidas, mas tem que ser sentidas.
A oração nos renova as forças e nos torna preparados para seguir.Nos mostra que não estamos sozinhos e a nossa gratidão por Deus permitir tudo que temos e somos.

Explicar esses tópicos com ´auxilio de ilustrações.


Atividade:
Fazer um cartaz com essas ilustrações e mais desenhos das crianças sobre o que elas entenderam das lições de Jesus.
 

Almoço Beneficente Viva Vida Kardec


A família Viva Vida convida para o almoço beneficente a ser realizado dia 13/04 - Sábado-
ás 12:00
Ingresso:R$ 35,00
Local: Viva Vida Kardec Q 509 conj13 cs 11 Recanto das Emas DF


 Venha participar!

07/03/2013

A missão de Jesus I - Seu nascimento

Contar ás crianças:

 Depois de Moisés ter apresentando os Dez mandamentos de Deus, muita, muita coisa aconteceu.
A população aumentou e os mandamentos foram sendo esquecidos, ou usados de formas inapropriadas.Surgiram grupos com diferentes modos de pensar que adaptavam as leis de Deus conforme seus interesses.
Bem antes de Jesus nascer os povos estavam envolvidos por sentimentos de vaidade, riquezas materiais e luxos.
Vendo que o planeta Terra novamente estava sendo envolvido por sentimentos ruins e por amar demais seus filhos, Deus convocou Jesus para que ele viesse ao mundo relembrar nos e esclarecer nos os ensinamentos que Deus transmitiu através de Moisés.
Essa era a missão de Jesus.

Perguntar ás crianças:

Vocês se lembram da história do nascimento de Jesus?

Nesse momento apresentar-lhes ilustrações da história: os personagens, os cenários.
Elas, trabalhando em grupo, deverão montar a história do nascimento de Jesus colando em um cartaz e depois contar para a turma.

Modelo
 

Depois disso, a educadora (educador), poderá acrescentar algum detalhe que possa ter sido esquecido.
Para subsidio ao educador veja aulinhas postadas neste blog:
http://www.evangelizaresaberamar.blogspot.com.br/search/label/nascimento%20de%20Jesus

 Comentar:

Jesus era um espírito bem evoluído não era?Tinha uma missão tão importante, por que Deus não fez com que ele nascesse numa família de Nobres e sim numa família tão simples,em uma estrebaria, dormindo numa manjedoura?

Deixar as crianças responderem.

E concluir:

Foi de propósito!!!
Como já foi dito, nessa época, dava-se muito valor ás riquezas materiais; as pessoas que possuíam riquezas, propriedades, jóias, se achavam melhores que as outras! Os governantes se achavam verdadeiros deuses!
Crianças, a melhor forma de ensinar  é pelo exemplo. Então Deus quis que Jesus nascesse num ambiente simples, humilde, para mostrar com a própria vida tudo o que ele queria nos dizer.
Por isso mesmo ele sofreu muito, mas deixou o exemplo que até hoje, mais de 2000 anos depois de seu nascimento, é seguido por milhares de pessoas...

Sugestão:
Quem tem a possibilidade de trabalhar com as crianças on line, segue um link de colorir.Nesse caso, vai cair direto no tema, mas sugiro colocar em favoritos pois vai poder usar muito!!!

http://www.colorirgratis.com/desenho-de-nascimento-de-jesus-a-criança-na-manjedoura-com-os-pais-os-animais-o-anjo-ea-estrela-de-natal_7328.html

 

01/03/2013

Moisés e sua missão

Quem foi Moisés?

Conversar com as crianças se elas já ouviram falar, se conhecem sua história.
Em seguida contar sua história com auxilio de gravuras ou slides.

Há muitos, muitos anos atrás, bem antes de Jesus nascer, os seres humanos encontravam-se meio perdidos.Viviam em constantes conflitos, principalmente por causa de religião.No Egito, os hebreus foram escravizados por mais de 400 anos!

Deus, em sua infinita misericórdia, resolveu enviar ao mundo alguém que pudesse levar ao povo hebreu um novo rumo de vida baseado na justiça divina.Esse homem foi Moisés.
Ele nasceu hebreu, como o faraó havia mandado matar todos os recém-nascidos meninos, sua mãe, para salvá-lo, o colocou numa cesta e pôs no rio Nilo, esperando que pudesse ser adotado por alguem que o protegê-se.



Perto dali, banhava-se a princesa Termutes, filha do Faraó.Ela o encontrou e resolveu adotá-lo dando o nome de Moisés que em egípcio significa "salvo das águas".E assim, ele foi educado como um príncipe.

Certo dia, já adulto, Moisés foi defender um escravo hebreu que era surrado por um soldado egípcio e acabou matando o soldado.

O Rei Ramsés II ficou furioso!Moisés teve que fugir para o deserto, onde se tornou um pastor de ovelhas.
Moisés passou anos trabalhando como pastor, até que um dia viu um arbusto que parecia estar em chamas, mas as chamas não eram fogo!Então, ouviu uma voz lhe dizer para voltar ao palácio e pedir ao faraó a libertação do povo hebreu.


Ele foi, mas o faraó não concordou, pois usava o trabalho gratuito dos escravos para enriquecer o país, e a si mesmo.
Então Moisés disse que muitas coisas ruins aconteceriam no Egito - ele sabia disso pois era médium - via e ouvia coisas que só quem tem esse dom aflorado conseguia.
E realmente muitas coisas ruins aconteceram: muitos peixes amanhecerem mortos no rio, o país começou a sofre com uma infestação de insetos, rãs invadiram as casas e doenças se alastraram por toda a população.

Diante de tal situação, o faraó permitiu que Moisés levasse embora os escravos.
Lá se foram milhares de pessoas deixando o Egito, sendo guiados por Moisés.
Porém Ramsés se arrependeu e mandou os soldados atrás dos escravos.Moisés conseguiu fugir dos soldados com muita habilidade, pois conhecia bem o deserto, e passou a viver lá com o povo hebreu.


Esse povo encontrava-se muito revoltado,endurecido por tudo que sofrera no passado.
Constantemente brigavam entre si, muitas vezes com brutalidade , violência e desrespeito.
Nesse momento, o povo acreditava que existiam vários deuses, mas Moisés conseguiu convencê-los que existia um único Deus, que não podemos ver nem tocar, mas que ama e guia seus filhos.
Moisés, sempre esteve amparado por seus guias espirituais, ajudando a cumprir sua missão.
Foi quando recebeu como mensagem de Deus, no Monte Sinai,  os Dez Mandamentos.
 



Conversar com as crianças o que significa cada mandamento.
Levá-las á reflexão:
Será que o mundo mudou muito?Será que o povo mudou?
Ajudá-las a concluir que, apesar da maldade, da injustiça ainda existe, a principal diferença é que hoje sabemos que nenhuma maldade ficará impune: existe a justiça divina que nos leva a corrigir , mais cedo ou mais tarde, o que foi feito errado.

Sugestão de leitura os evangelizadores, pais, educadores, interessados:
Evolução em dois mundos, André Luiz: 20- corpo espiritual e religiões (religiões egipcianas, Moisés e sua missão, os Dez mandamentos) http://www.autoresespiritasclassicos.com/Chico%20Xavier/Chico%20Xavier%20-%20Serie%20Andre%20Luiz/Evolucao%20em%20dois%20mundos/EVOLU%C3%87%C3%83O%20EM%20DOIS%20MUNDOS%20(Chico%20Xavier%20-%20Andr%C3%A9%20Luiz).PDF
A caminho da Luz, Emannuel (O monoteísmo) http://www.biblioteca.radiobomespirito.com/a_caminho_da_luz.pdf
Evangelho segundo o Espiritsmo, Allan Kardec (cap. I não vim destruir a Lei) http://www.febnet.org.br/ba/file/Obras%20B%C3%A1sicas/ese.pdf


Atividade:
Pintar as ilustrações sugeridas no site Seara do Mestre: http://www.searadomestre.com.br/evangelizacao/moises.htm