27.6.15

bem aventurados

Para começo de conversa vamos fazer uma dinâmica:
Jesus é o nosso Mestre! Vamos ver se estamos seguindo o caminho que ele nos ensinou?
* na sala de aula esta distribuido pegadas feitas com papel ( veja o modelo):
* as crianças respondem as perguntas: cada acerto é um passo. 
Sugestão de perguntas:
Teste Moral:
Comentar as respostas.
Obs: No teste original não tem o "gabarito" das respostas. Caberá o evangelizador analisar e decidir com as crianças ou mesmo adaptar conforme a realidade de seu grupo.

Objetivo: chegar na figura de Cristo:

Muito bem crianças estão no caminho certo!
Quando Jesus veio ao mundo, ele nos ensinou - como Mestre que foi -  a seguir suas lições.
Um momento belo e importante foi o Sermão das Bem aventuranças, onde disse quem estaria no caminho certo:

Jesus nos ensinou que para nos aproximarmos de Deus devemos ser bons, justos, ajudarmos uns aos outros, promovermos a paz e nos tratarmos como somos: irmãos.
Cada dia é uma oportunidade para aprendermos e assim evoluirmos.
Então, mãos á obra crianças!!!
Atividade: 
Em um envelope temos a figura de um ser humano.

 Dentro desse envelope papéis recortados com sentimentos bons e ruins. Os ruins representam "lixinhos" que deverão ser colados na figura que representa uma lixeira.
* sugestões: mágoa, maldade, orgulho, egoismo, inveja, intolerancia, tristeza, rancor, raiva...

Os bons são pedrinhas preciosas ( lembrar a música: se essa rua fosse minha) que devemos usar para enfeitar nosso caminho até a evolução espiritual.

Caminho da evolução espiritual

* sugestões: Carinho, amizade, amor, alegria, fé, solidariedade, caridade, união, paz...

Cada criança sorteia um papelzinho. Se for um sentimento ruim "lixinho", cola na lixeira. Se for um sentimento bom "pedra preciosa", cola no caminho da evolução espiritual.
Agora vamos aprender uma musiquinha?



18.6.15

Congresso das flores

Essa história é muito bonita e dinâmica - escolhemos algumas crianças para serem as flores da história. A criança que tiver determinada flor, quando for citada na história, deve dar um passo a frente e procurar fazer o que for dito que a flor fez. Quando for dito: "Todas as flores concordaram", todos bateremos palma. A professora será o Girassol.
Vamos á história!

O Congresso das flores

Certa vez, no Reino da Floresta Encantada, no dia dos amigos. Um dia muito especial comemorado na floresta, o Rei Girassol convocou todas as flores do reino para o congresso. Girassol: queridos amigos (as), neste dia dos amigos, vocês todos estão convocadas para um Congresso muito importante. Venham todos, pois o tema em questão é: O QUE É A VIDA Todas as flores se preparam para o tal congresso, com seus perfumes característicos.

Cada uma no Reino tinha seu próprio perfume e todas sabiam que cada perfume era importante para o Reino. E elas se animaram muito, pois falar de vida era um tesouro. Naquele Reino, era a coisa mais importante. Sabiam que a vida era um tesouro extremamente valioso. Eis que o Congresso se inicia:

O COPO- DE- LEITE 

foi o primeiro a falar, e com todo respeito, foi logo dizendo que a amizade é distribuir Aperto de Mão a Todos que Encontrar. E todas as flores concordaram.

O ANTÚRIO 
cheio de autoridade disse que viver é dar uma bronca sempre que precisar. E todas as flores concordaram.

O AMOR PERFEITO 
logo se levantou e disse que ter vida Para ele era sorrir em qualquer situação. E todas as flores concordaram.

A TULIPA
Cheia de encantos disse que viver é acariciar a todos. E todas as flores concordaram.

A ROSA
 cheia de charme disse que ter vida, era Beijar a todos que encontrar. E todas as flores concordaram.

LÍRIOS 
muito afetuoso na sua vez de falar, com os braços erguidos, disse que a vida era Dar abraços a todos. E todas as flores concordaram.

AZALÉIA
 muito transcendental, comentou que sendo os olhos o espelho da alma, a vida era Ter olhar cheio de ternura. Todas as flores concordaram.

A ORQUÍDEA
 na sua vez, muito tímida e discreta, que nunca da palpite sussurrou bem baixinho: ter vida É saber ouvir o outro. E todas as flores concordaram.

A MARGARIDA
 que já não se aguentava mais quieta, pois quase sempre queria falar sem ser sua vez, finalmente pode dizer empolgada que ter vida era exclamar sempre, a qualquer hora e em qualquer lugar Eu respeito você. E todas as flores concordaram.

De repente, um vento forte, soprou tanto que as flores já estavam quase voando de tão delicadas que eram.
 Todas voariam se elas não tivessem se unido ( todos se abraçam).
Flores grandes, pequenas,de todas as cores, ali no Reino, unidas para superarem aquele vento forte que logo iria embora.
E o ventou parou. Passou o perigo, nossa que alegria ( volta-se ao normal).


O rei Girassol muito compreensivo,aproveitou o momento para finalizar o Congresso. Pediu silêncio a todos e concluiu: Meus queridos amigos, o aperto de mão, o sorriso, o acariciar, o beijo, o abraço, o olhar cheio de ternura, o saber ouvir e falar o que se sente sinceramente, tudo isso é importante.E seja como ela for, o principal na vida em grupo é a união.
E todas as flores concordaram!!!

Vamos cantar?
Uma musiquinha muito linda : Passear pelas flores



Atividade:



14.6.15

Seguindo as lições de Jesus

Finalizando o trabalho desenvolvido com o livro Escuta meu filho.

A história que Dona Clara contou foi sobre um menino que viveu no tempo de Jesus. Seu nome era Amantel.
Era um menino de apenas oito anos, que vivia numa casa simples mas acolhedora de Jerusalém, junto de sua mãe e seu pai. De olhos e cabelos negros, Amantel tinha um semblante sereno, meigo. Parecia mesmo ser um menino bom.
Certo dia, indo fazer compras com sua mãe, viu muitas pessoas juntas ao lado do templo.
 -Mamãe, porque será que aquele povo todo está reunido?
Sua mãe também ficou curiosa e resolveu se aproximar para ver o que acontecia.
Logo viram um jovem homem, com semblante doce e calmo postando suas mãos nas cabeças das pessoas. Amantel falou admirado:
 - Ah, mamãe já sei! Esse deve ser Jesus! Meu amigo Ismael falou-me dele ontem: ele curou um paralitico! É um homem muito bom, que fala coisas muito bonita ás pessoas e as cura!

Sua mãe se espantou:  - Como sabes que esse homem é mesmo esse tal de Jesus?
 - Ora, mãe! Dá pra perceber! Olha como ele transmite calma, paz! Veja: está carregando uma criança pequena no colo que parece doente. Aposto que logo estará curada!
Sua mãe, apreensiva disse: - não se deve admirar de coisas que estranhos fazem filho!
Amantel indeciso e espantado disse:
 - Porque não devemos admirar pessoas que fazem coisas boas? Ele está fazendo o bem! Isso não é bom?
 -Vamos embora! Seu pai já deve estar chegando do trabalho.
Como ele era um menino muito obediente, não insistiu em ficar mas queria tanto que sua mãezinha entendesse o que ele sentia no peito: que aquele era um homem bom, que podiam confiar...
Alguns meses se passaram...
Era fim de tarde. Amantel estava sentado na soleira de casa observando o por do sol. Mas nesse instante, não sabia porquê seu coraçãozinho estava oprimido, como quando a gente sente que alguma coisa irá acontecer a alguém que amamos. O seu estava com nuvens pesadas, as colinas com sombras escuras. Nem o Sol que nesse momento oferecia um brilho tão bonito, parecia não estar tão brilhante.
De repente seu pai chegou ás pressas, mais cedo que o normal e falou:
 - Vamos pra dentro filho. Está havendo uma revolução na cidade e não sei como as coisas vão desenrolar. Acabam de prender um tal de Jesus e ele será crucificado!
 -Jesus!? Por que?! Por que prenderiam um homem tão bom? - Perguntou espantado o menino Amantel.
 - Estão dizendo que ele não respeitava as leis. É um criminoso e merece pagar pelos seus crimes.
 - Não creio! Não creio! - gritou Amantel correndo para as ruas com os olhos marejados.
Seu pai ainda tentou segui-lo mas logo se perdeu dele.
Em poucos minutos ele já estava perto do aglomerado de pessoas. Logo ele viu os cabelos dourados empapados de suor e sangue de Jesus e suas costas feridas pelas chicotadas, carregando uma cruz de madeira pesada.

Seu olhar triste de lacrimejante de menino se perguntava: - porque fizeram isso com quem só fez o bem? - não conseguia entender...
Jesus sentiu o olhar do menino. Virou seu rosto em sua direção e transmitiu uma mensagem em pensamento para o garoto:
 " Não se entristeça Amantel. Vá para casa. Veja que não há nenhuma criança nas ruas. Volte para casa e guarde apenas as lições que ensinei, e as coisas boas que viu. Transmita adiante o que ensinei. Agora volte para os seus pais. Está tudo bem".
O menino alcançou o manto de Jesus com o s dedos para se despedir e voltou para casa.
Anos mais tarde, o adolescente Amantel contava ás crianças as histórias de Jesus e seus ensinamentos...


Esse menino representa as diversas pessoas, crianças, e discípulos que passam adiante a lição de amor que Jesus nos ensinou.


Atividade:
Fazer um mural chamado Jardim da Alma
Nossa alma é o jardim
as flores são os bons sentimentos
Explicar para termos um jardim florido e perfumado é preciso cultivamos sempre bons sentimentos e estar sempre cuidando do nosso jardim para que as ervas daninhas, as pragas e o mau tempo não o destrua.
Escrever nas flores bons sentimentos que devemos ter!