Origem dos dias das mães

1° momento: ensaiar a musiquinha que será apresentada para as mães.
2° momento: prece de abertura
3° momento: Desenvolver o tema:

Hoje vou contar pra vocês quem inventou o Dia das Mães. É uma história muito bonita, mas o final faz a gente pensar...

A muitos anos atrás, em 1864 nascera Anna Jarvis, em Vírgínia nos Estados Unidos. Era uma moça muito bonita que vivia muito bem com sua mãe, viúva, e sua irmã mais nova que era cega. Apesar de serem só as três viviam felizes, pois se amavam e não tinham problemas com dinheiro.


Mas, em 1905, sua mãe morreu. Anna ficou muito, muito triste. Sentia muita falta de sua mãe. Tinha uma linda casa, cuidava bem de sua irmã, mas sofria de saudades de sua mãe.
Então, num belo dia, teve a ideia de criar um dia para as mães!
Sugeriu a ideia ao prefeito Reyburn de Filadélfia (onde ela passou a morar).
Daí em diante, começou uma campanha para se criar esse dia, onde o ponto básico era, homenagear não só as mães vivas, mas também as mães que já haviam morrido. Ela dirigia tudo de sua casa: escreveu a governadores, igrejas, industriais, clubes femininos, qualquer um que pudesse ajudar a implantar esse dia.
Recebeu tantas respostas que resolveu largar o emprego e comprou a casa vizinha para se dedicar exclusivamente a campanha.
Logo foi convidada á visitar outras cidades para falar sobre esse plano. Escreveu e imprimiu folhetos que era distribuído de graça! Tudo isso com seu dinheiro!
Finalmente,depois de tanta luta, Anna ficou muito, muito feliz! Em 1914 o presidente dos Estados Unidos da época, Woodrow Wilson, proclamou o 2° Domingo de maio (no aniversário da morte da mãe de Anna) como o Dia das Mães!!!
Mas Anna, feliz da vida, não parou por aí: era preciso conquistar o mundo! Assim continuou viajando, falando, escrevendo e publicando folhetos para o mundo.
E ela conseguiu: durante sua vida 43 países adotaram o Dia das mães! O Brasil foi um deles! Em 5 de maio de 1932, o então presidente Getúlio Vargas, promulgou o 2° Domingo do mês de maio como o Dia das Mães!
Mas, um dia, Anna ficou novamente muito, muito triste...Começou a perceber que a data que ela criara, tão especialmente para se homenagear as mães, estava sendo usada para se ganhar dinheiro! "Esse é um dia de sentimentos, não de lucros!" Ela dizia.
Anna não queria que a festa da mãe pobre fosse diferente da mãe rica. Um simples cravo branco -flor predileta de sua mãe- bastava para exprimir um mundo de afeto.

Então Anna viu-se só: todo seu dinheiro acabara na campanha e sua intenção foi transformada. Daí em diante se fechou em sua casa, com sua irmã, lamentando ter criado o Dia das mães...
O que Anna queria era que as pessoas tivessem pelo menos um dia para homenagear as mães, mandando cartas, bilhetes e um cravo branco (seu símbolo do dia das mães). Mas infelizmente o comércio tomou conta dessa data tão bonita...

Vamos mudar essa história?Abraçar, dar carinho, dizer que a ama.Esse é o verdadeiro objetivo do Dia das Mães!!!

(Dados tirados do livro:Mãe-antologia medúnica, Francisco Cândido Xavier)http://www.gegr.org.br/clubedolivro/livros/200905.php


Atividade:





parábolas IV: O bom samaritano

1° momento: alongamento e música para acordar (ver links de música)
2° momento: Prece de abertura
3° momento: Contar ás crianças com auxílio de figuras móveis, ou fantoche a história do Bom Samaritano.

O Bom Samaritano

Jesus estava contando suas histórias quando um senhor da lei perguntou para testá-lo:
-Mestre, que preciso fazer para conquistar a vida eterna?
Jesus perguntou: -O que está escrito?
Então o homem respondeu:
-Amarás o senhor teu Deus de toda sua alma e ao próximo como ao ti mesmo.
Respondeu Jesus: -Disse bem. Faz isso e viverás.
mas o homem, ainda não satisfeito, perguntou:
-E quem é meu próximo?
Contou Jesus a seguinte história:
"Um homem viajava de Jerusalém á Jericó, quando assaltantes o pegaram, roubaram todas suas coisas e o deixaram ferido, sofrendo no chão.

by Patrícia Simões

"Um sacerdote, coincidentemente, passava por ali, mas ao vê-lo, tomou distância e andou o mais depressa que pôde.
"Um levita também passou por ali,mas,quando o viu, também andou depressa sem olhar o homem que gemia de dor.

by Patrícia Simões

"Mais tarde, um samaritano que estava viajando o viu e logo aproximou-se dele para ajudá-lo. Cuidou de suas feridas com azeite e vinho, colocou-o sobre seu cavalo, levou-o para uma hospedaria para tratá-lo melhor.

by Patrícia Simões


"No dia seguinte, deu um pouco de dinheiro ao dono da hospedaria e disse para cuidar dele, que quando voltasse, lhe daria o restante do dinheiro."
Perguntou Jesus:
-Qual destes três foi o próximo daquele pobre homem?
O Doutor da lei respondeu:
-Aquele que teve compaixão do pobre coitado e cuidou dele.
-Então vá e faz o mesmo! -disse Jesus.
(Adaptado do livro: Histórias que jesus contou: Clóvis Tavares)

Explicar ás crianças o significado de:
Sacerdote: http://www.dicionarioinformal.com.br/definicao.php?palavra=sacerdote&id=89
Levita: http://www.priberam.pt/dlpo/definir_resultados.aspx?pal=levita
Samaritano:http://pt.wikipedia.org/wiki/Samaritanos

Atividade:

Apresentar ás crianças o Luizinho e o Luisa. Eles, muito sapecas andavam de bicicleta e jogavam bola cada um no seu canto. Mas sem perceber Luizinho, correndo, tropeçou numa pedra caiu morro abaixo, se ralou todo, perdendo até suas roupas! Luisinha corria de bicicleta (achando que estava num bicicross!), de repente a bicicleta deu uma cambalhota e ela também se machucou toda! Mostrar os bonecos feito de cartolina com carinhas tristes e cheios de hematomas. Dividir em dois grupos, cada grupo irá cuidar do seu boneco deixando eles felizes de novo! Junto com o boneco entregar acessórios adesivos para colarem nos bonecos: curativos, roupa, sapato, lanchinho, leitinho (afinal essa aventura deu-lhes fome e sede), material escolar (para incentivá-los a estudar!) e até um sorriso!
Objetivo: Mostrar na prática o que fez o bom samaritano que serviu de exemplo na história de Jesus.

by Patrícia Simões



parabola de jesus III: O semeador e a semente

1° momento: alongamento
2° momento: músicas para acordar (Desengonçada: Bia Bedran http://letras.terra.com.br/bia-bedran/561347/
3° momento: tema: O semeador e a semente
Contar a história utilizando um cenário móvel, teatralizando a história com as figuras móveis.

Jesus contou a seguinte história:
  Um homem saiu pra semear.
Algumas sementes caíram no meio do caminho. Vieram alguns passarinhos e comeram as sementes. Não dando chance á elas nem de brotarem.
  Outras sementes caíram em terreno pedregoso. Chegaram até a brotar, mas, como o térreo era cheio de pedras, as raízes das plantinhas não conseguiram se aprofundar para buscar água. então veio o Sol quente e rapidamente a plantinha secou. Morreu.
  Parte das sementes ainda, caíram em espinheiros. Os espinhos sufocaram as plantinhas, não deixaram elas crescerem. Então elas também não vingaram.
  Finalmente, as sementes que caíram no solo fértil, adubado, próprio para se plantar não só brotaram como cresceram, deram flores, frutos e rapidamente a lavoura estava cheinha...


by Patrícia Simões

  Quando Jesus contou essa história quis nos passar a seguinte lição:
  Jesus é como se fosse o semeador, as sementes são suas lições de caridade, amor ao próximo,fé que ele tenta plantar em nossos corações.
  Cada terreno em que as sementes caíram são diversas tipos de pessoas que escutam essas lições.
  As sementes que caíram no caminho, são quando as lições dadas por Jesus não fixam no coração de determinadas pessoas. Assim como os passarinhos catam essas sementes, não dando chance delas brotarem, os espíritos do mal ou pessoas ruins desviam os pensamentos dessas pessoas e não deixam essas palavras de amor brotarem nos corações delas.
  Os terrenos pedregosos, são as pessoas que até se entusiasmam com os ensinamentos de Jesus, mas esses sentimentos não vingam pois essas pessoas são levadas por comentários de outras pessoas desanimando-as. Essas sementes de Jesus não conseguem se enraizar nos corações delas.
  Quando as sementes que caíram no espinheiro são sufocadas pelos espinhos, ele compara aquelas pessoas que são dominadas por sentimentos egoístas, ambiciosos, que sufocam os sentimentos mais nobres de enxergar outras pessoas além deles mesmos.
 Finalmente, o terreno fértil, adubado, próprio para as sementes brotarem, crescerem e se multiplicarem, compara com as pessoas que escutam , entendem e praticam as lições de amor,caridade, paz, união e fé que Jesus ensinou.
(adaptação do livro:Histórias que jesus contou, Clóvis Tavares)


by Patrícia Simões

Depois comentar com as crianças a história e pedir pra elas desenharem como Jesus gostaria que nós fôssemos. Dentro de um coração.