Passe

Perguntar ás crianças:
O que fazemos quando estamos com fome?
-comemos.
com sede?
-bebemos.
com frio?
-agasalhamos.
com calor?
-refrescamos.
feridos?
-nos tratamos...

Para cada problema, ou dificuldade temos um remédio, uma solução.
Mas e quando esse problema ou dificuldade está na alma?
O que acontece quando vamos brincar de correr ou de jogar bola num lugar cheio de lama?
-Ficamos todo sujos!
Muitas vezes, quando pensamos, falamos ou fazemos coisas ruins, nosso perispírito fica cheio de "sujeira". Essa "sujeira" nos torna pesados, cansados, ou desanimados.Podemos até adoecer!
Mostrar um desenho de uma criança com "sujeirinhas" pregadas (raiva, tristeza, mágoa, inveja, orgulho, tristeza...)
A sujeira do corpo sai quando tomamos banho. Mas para limpar esses sentimentos ruins que ficam presos no perispírito, existe o passe.

Mas o que é o passe?
Lembram que, quando terminamos nossa aulinha, o tio Caio vai pra salinha de passe?
Alguem já foi tomar passe?
Como foi?

O passe é uma transmissão de energia positivas, boas, puras enviadas por espíritos evoluidos.Os espíritos evoluidos nos enviam, o médium passista capta (como se fôsse uma antena) e nos transmite.
Para essa transmissão dar certo, é preciso que a pessoa que esteja recebendo o passe esteja aberto para a cura, estar em prece e acreditar em Deus.
Tirar as "sujeirinhas" da criança e substituir por coisas boas (amor, paz, alegria, fé, união...)
Além do passe, também temos a água fluidificada. Nela também tem o "remedinho" para ajudar no tratamento de nossa alma.

 
 Subsidio para o educador:(http://pt.scribd.com/doc/6813502/O-Passe-na-visao-Espirita )

 

Corpo, perispírito e espírito

Qual a primeira coisa que fazemos quando acordamos?

Abrimos os olhos
espreguiçamos
bocejamos
lavamos o rosto, escovamos os dentes...
tomamos café da manhã
Tudo isso fazemos porque estamos vivos e somos sadios.
Vamos provar que estamos vivos?

Todo mundo respirando.
Enchendo os pulmões
Inspira...
Expira...
Inspira...Expira...

 Estamos vivos?
Pra ter certeza vamos colocar as mãos no peito, no rumo do coração.
O que sentem?
Tum, Tum,tum...
Parece que sim não é?

 Isso tudo nos prova que estamos vivos no nosso planeta terra.

Mas tem uma coisinha mais que nos faz ter certeza que estamos vivos, existindo nesse planeta: Nosso pensamento!

Se eu pergunto a vocês o que viram durante o caminho de casa até aqui o que vocês me dizem?

O que fizeram pra lembrar de tudo?
Pensaram!

Isso mostra que vocês estavam bem vivinhos pois além de respirar, bater o coração, pensam!
(Diferente das plantinhas e dos animaizinhos que são vivos, mas não pensam como nós...)

Mostrar a eles um vidro de perfume suave - de preferência infantil. O que tenho aqui?
Um perfume
Sintam seu cheirinho (deixar cada criança cheirar).

Nós somos como esse vidro de perfume.
O cheirinho, é o nosso espírito. É quem realmente somos. Capazes de pensar, de
raciocinar sobre o certo e o errado.
Esse líquido que carrega o cheirinho para que ele possa ficar guardado no vidro, é o nosso perispírito. Ele que nos envolve para tomarmos forma do nosso corpo.
E esse vidro, é o nosso corpo. Ele quem guarda o nosso espirito e nos mantem firmes aqui na terra.

Devemos cuidar bem do nosso corpo, pois ele é importante para  nosso espirito. Do mesmo jeito precisamos cuidar dos nossos pensamentos porque também podem prejudicar nossa saúde.

Mostrar um saquinho. Encher ele com folhinhas escritas, amor, bondade, paz, carinho, solidariedade, gentileza...

(liz.com.br)

Ele vai ficar cheio porem leve.
Em outro saquinho, do mesmo tamanho, colocar algumas pedras escritas ódio, tristeza, mágoa, inveja... O saquinho não ficou cheio, mas ficou pesado...
(Objectosdedesejo.com.br)

Assim somos nós. Quando enchemos nossa alma de bons sentimentos, ficamos completos porem leves, em paz.
Se guardarmos dentro de nós sentimentos ruins, ficamos pesados, oprimidos. Estamos fazendo mal a nós mesmos.
Por isso crianças, vamos cuidar bem dos nossos pensamentos, dos nossos sentimentos, da nossa saúde. Assim estaremos fazendo o bem aos outros e a nós mesmos.
Atividade:
Entregar ás crianças 1/4 de folha branca. Deverão pintar de giz bem forte, de preferência uma cor brilhante, luminosa - representa  o espírito. Com o auxilio de um molde, desenhar o contorno de uma criança - perispírito. Colar num pedaço de cartolina e recortar no formato do molde - corpo.
(Ilustrações do blog:  http://uniaoinfantil.blogspot.com.br/2010/07/origem-e-natureza-dos-espiritos-01.html)

Finalmente a criança devera enfeitar a figura como sendo ela mesma!
Vai ficar mais ou menos assim:

O poder da gentileza

O que é gentileza?
O que é ser gentil?
Quantas vezes, depois de um ato de gentileza, alguém nos cutucou falando: "você é bobo hein?!"

Gentileza é um ato de delicadeza e amabilidade.
Ser gentil é ser amável com as pessoas.

Porque sendo um ato tão bonito seria uma atitude de alguém bobo?
Só porquê cedeu seu lugar na fila á alguém?
Só porquê cedeu sua cadeira a alguém que pareceu precisar mais?
Que mal há nisso?
O quanto isso te prejudica?

Prestem atenção na seguinte história:


O poder da gentileza
 
 
Eminente professor, interessado em fundar uma escola num bairro

pobre, onde centenas de crianças desamparadas cresciam sem o benefício

das letras, foi recebido pelo prefeito da cidade que lhe disse imperativamente,

depois de ouvir-lhe o plano:

— A lei e a bondade nem sempre podem estar juntas. Organize uma casa

e autorizaremos a providência.

— Mas, doutor, não dispomos de recursos... — considerou o benfeitor dos

meninos desprotegidos.

— Que fazer?

—De qualquer modo, cabe-nos amparar os pequenos analfabetos.

O prefeito reparou-lhe demoradamente a figura humilde, fez um riso

escarninho e acrescentou:

— O senhor não pode intervir na administração.

O professor, muito triste, retirou-se e passou a tarde e a noite daquele

sábado, pensando, pensando...

Domingo, muito cedo, saiu a passear, sob as grandes árvores, na direção

de antigo mercado.

Ia comentando, na oração silenciosa:

— Meu Deus, como agir? Não receberemos um pouso para as criancinhas,

Senhor?

Absorvido na meditação, atingiu o mercado e entrou.

O movimento era enorme.

Muitas compras. Muita gente.

Certa senhora, de apresentação distinta, aproximou-se dele e tomando-o

por servidor vulgar, de mãos desocupadas e cabeça vazia, exclamou:

— Meu velho, venha cá.

O professor acompanhou-a, sem vacilar.

À frente dum saco enorme, em que se amontoavam mais de trinta quilos de

verdura, a matrona recomendou:

— Traga-me esta encomenda.

Colocou ele o fardo às costas e seguiu-a.

Caminharam seguramente uns quinhentos metros e penetraram elegante

vivenda, onde a senhora voltou a solicitar:

— Tenho visitas hoje. Poderá ajudar-me no serviço geral?

— Perfeitamente — respondeu o interpelado —, dê suas ordens.

Ela indicou pequeno pátio e determinou-lhe a preparação de meio metro de

lenha para o fogão.

Empunhando o machado, o educador, com esforço, rachou algumas toras.

Findo o serviço, foi chamado para retificar a chaminé. Consertou-a com

sacrifício da própria roupa. Sujo de pó escuro, da cabeça aos pés, recebeu

ordem de buscar um peru assado, à distância de dois quilômetros. Pôs-se a

caminho, trazendo o grande prato em pouco tempo. Logo após, atirou-se à

limpeza de extenso recinto em que se efetuaria lauto almoço.

Nas primeiras horas da tarde, sete pessoas davam entrada no fidalgo

domicílio. Entre elas, relacionava-se o prefeito que anotou a presença do

visitante da véspera, apresentado ao seu gabinete por autoridades

respeitáveis. Reservadamente, indagou da irmã, que era a dona da casa,
 
quanto ao novo conhecimento, conversando ambos em surdina.

Ao fim do dia, a matrona distinta e autoritária, com visível desapontamento,

veio ao servo improvisado e pediu o preço dos trabalhos.

— Não pense nisto — respondeu com sinceridade —, tive muito prazer em

ser-lhe útil.

No dia imediato, contudo, a dama da véspera procurou-o, na casa modesta

em que se hospedava e, depois de rogar-lhe desculpas, anunciou-lhe a

concessão de amplo edifício, destinado à escola que pretendia estabelecer. As

crianças usariam o patrimônio à vontade e o prefeito autorizaria a providência

com satisfação.

Deixando transparecer nos olhos úmidos a alegria e o reconhecimento

que lhe reinavam nalma, o professor agradeceu e beijou-lhe as mãos,

respeitoso.

A bondade dele vencera os impedimentos legais.

O exemplo é mais vigoroso que a argumentação.

A gentileza está revestida, em toda parte, de glorioso poder.

(Do livro: A vida fala - I , Neio Lúcio)
 

                                     Gentileza, Marisa Monte, Youtube

Atividade:
Pedir ás crianças outros exemplos de gentileza em casa, na escola, na rua,...
Desenhar esses exemplos de gentileza.

 
 
Lembrem-se sempre:
"Gentileza gera gentileza"!
 

                                          Vírus da gentileza, Youtube